BNDES abre inscrições para financiar setor audiovisual

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) abriu ontem (17) inscrições para o novo edital de cinema, que concederá R$ 14 milhões para apoio ao setor audiovisual, este ano. Os recursos serão aplicados na produção e finalização de obras de ficção, animação e documentários, informou o banco, por meio de sua a assessoria de imprensa. As inscrições serão encerradas no dia 15 de março.

Este ano o BNDES decidiu inovar, direcionando o foco de sua atuação também para obras autorais, que apresentem possibilidade de reconhecimento fora do país, sem se limitar à seleção de projetos da indústria audiovisual utilizando critérios de mercado.

As propostas serão divididas em dois grupos. O primeiro destaca resultados econômico-financeiros para os investidores, sem perda da qualidade técnica e artística dos filmes. O segundo grupo vai priorizar projetos que busquem o reconhecimento artístico e técnico no exterior. O argumento e o roteiro, além de prêmios auferidos pelos projetos, contarão ponto na análise pelo BNDES.

Do total de R$ 14 milhões previstos no edital de cinema 2012, R$ 12 milhões serão destinados para a produção e finalização de obras de ficção e animação e R$ 2 milhões para a produção de documentários. O banco informou que poderão concorrer aos recursos projetos aprovados pela Agência Nacional de Cinema (Ancine) e que tenham registro ou protocolo de registro de emissão e distribuição de certificados de investimento audiovisual na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), de acordo com a Lei do Audiovisual.

Projetos apoiados em editais anteriores ou de empresas que estejam inadimplentes com o banco não poderão inscrever-se. Considerado um dos principais apoiadores do cinema nacional, o BNDES lançou o primeiro edital de cinema em 1995, tendo desembolsado um total de R$ 146,7 milhões para a produção cinematográfica do país.

O BNDES apoia ainda o setor do audiovisual, por meio da concessão de crédito a projetos de construção de salas exibidoras, produção cinematográfica, capitalização de empresas, entre outras modalidades de financiamento. Nesses setores, os recursos liberados pelo banco totalizam R$ 118,6 milhões, nos últimos cinco anos. Segundo o banco, esses recursos alavancaram investimentos no montante de R$ 250 milhões. Em fundos de financiamento da indústria cinematográfica nacional, o apoio do BNDES alcança R$ 39,9 milhões.

 

 

Fonte: Correio Braziliense

Ancine aprova mudanças nas regras de credenciamento

A Ancine aprovou nesta quinta, 19, a alteração na Instrução Normativa 91, que trata do credenciamento de empresas nas atividades reguladas pela agência. O objetivo da Ancine é adequar as regras de credenciamento aos dispositivos da Lei 12.485/2011, que cria o Serviço de Acesso Condicionado (SeAC). Basicamente, as novas regras estabelecem como se dará o credenciamento de empresas produtoras e programadoras brasileiras e brasileiras independentes, empacotadoras e outras modalidades que agoram passama ser reguladas no âmbito do SeAC.

Aspectos polêmicos que já estava na lei, por exemplo, foram mantidos sem nenhum tipo de condicionante ou amenização. Por exemplo, não serão consideradas produtoras brasileiras independentes aquelas que mantiverem vínculo de exclusividade que as impeçam de produzir ou comercializar para terceiros os conteúdos audiovisuais por ela produzidos. Grandes produtoras, como a O2, por exemplo, têm acordos de exclusividade com a TV Globo, por exemplo, e perderiam a possibilidade de serem caracterizadas como produtoras independentes para fim de se beneficiarem com as cotas de programação previstas na Lei 12.485/2011.

Da mesma forma, a IN mantém o entendimento que já estava na Lei 12.485 de que qualquer programadora poderá ser considerada independente se não tiver vinculação de controle com uma empresa distribuidora ou empacotadora. Isso significa que a Band, por exemplo, por ser controladora da TV Cidade, será hoje considerada uma programadora não-independente, mas a Globosat, caso o grupo Globo de fato saia do controle da Net Serviços, poderá até ser consuiderado uma programadora independente.

A consulta pública sobre as novas regras de credenciamento começa nesta sexta, dia 20.

Da Redação Tela Viva.

Fundo Comgás de Patrocínio Sociocultural abre inscrições

Criado em 2008, o Fundo Comgás de Patrocínio Sociocultural já destinou até o momento 5,5 milhões de reais a mais de 30 projetos socioculturais, beneficiando diversas regiões do Estado de São Paulo, reafirmando o compromisso social da Comgás em suas áreas de atuação.

O objetivo principal é apoiar iniciativas socioculturais que promovam aprendizado transformador e relações sustentáveis, despertando crianças, jovens e comunidades para novas perspectivas de vida. Para valorizaros saberes locais, promover a diversidade das expressões artísticas, a democratização e circulação de conhecimento e cultura, e o desenvolvimento social sustentado no Estado de São Paulo, a Comgásreconhece a excelência de projetos que, independentemente da área cultural específica, fazem a diferença na vida de seus participantes, permitindo que sejam protagonistas de sua própria história e da história de suas comunidades. 

Ampliando os montantes investidos anualmente, o Fundo Comgás de Patrocínio Sociocultural destinará, em 2012, R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais) para projetos aprovados pela Lei Rouanet nas áreas de audiovisual, música, humanidades, artes cênicas, artes visuais, patrimônio e artes integradas.

Os investimentos do Fundo Comgás de Patrocínio Sociocultural são operacionalizados por Regulamento próprio, que estabelece critérios técnicos específicos para a avaliação dos projetos inscritos, objetivando atransparência e a idoneidade da atitude da Comgás perante a sociedade e primando pela igualdade de oportunidade de concorrência entre os proponentes e empreendedores socioculturais aos recursos destinados.

Se você possui projetos aprovados pela Lei Rouanet convergentes com as propostas do Fundo Comgás de Patrocínio Sociocultural, confira o regulamento, cadastre-se e participe!

 

Mais informações aqui.

ANCINE estabelece regra para pontuação de coprodutores

Foi aprovada pela Diretoria Colegiada da ANCINE, no dia 13 de dezembro de 2011, aSúmula nº 5, que estabelece regras para a concessão de pontuação para os coprodutores das obras audiovisuais, para fim de captação de recursos federais incentivados. A súmula estabelece que, no caso de obras produzidas por mais de um agente econômico, a pontuação será dividida entre produtores e coprodutores, nos termos de acordo firmado entre as partes, estando dispensados da participação no acordo os agentes econômicos que não estejam aptos a captar recursos públicos federais. Depois de computados para as coprodutoras, os pontos não poderão ser alterados. A nova regra só será aplicada no caso das obras audiovisuais apresentadas para a classificação de nível após a entrada em vigor da Súmula nº 5.

 

Outra Súmula, a nº 4, publicada no Diário Oficial da União em 8 de dezembro de 2011, definiu os parâmetros para avaliação de possíveis situações de não-incidência da CONDECINE relativa a obras audiovisuais não-publicitárias.

Prêmio Braskem de Teatro 2011 divulga lista de indicados

A Braskem acaba de divulgar a relação dos indicados ao Prêmio Braskem de Teatro 2011. A premiação destaca anualmente as melhores produções do teatro baiano em oito categorias:Espetáculo Adulto, Espetáculo Infanto-Juvenil, Direção, Ator, Atriz, Texto, Revelação e Categoria Especial. A comissão julgadora do prêmio é composta pela diretora teatral e escritora Adelice Souza, pelo ator e coordenador da Pós-Graduação da Escola de Teatro da UFBA Cláudio Cajaíba, pela coreógrafa Lia Robatto, pelo escritor e jornalista Marcos Uzel e pelo dramaturgo Paulo Henrique Alcântara. O grupo foi responsável por avaliar 53 espetáculos, sendo 43 adultos e 10 infanto-juvenis, que estiveram em cartaz no período de 18 de março a 18 de dezembro de 2011 em Salvador.

Os vencedores da 19ª edição do Prêmio Braskem de Teatro, no entanto, só serão conhecidos durante cerimônia de premiação na sala principal do Teatro Castro Alves no dia 4 de abril. Além do troféu, os vencedores das categoriasEspetáculo Adulto e Espetáculo Infanto-Juvenil receberão um prêmio no valor de R$ 30 mil, enquanto os demais serão contemplados com R$ 5 mil cada.

Sobre o PBT

 Prêmio Braskem de Teatro é uma tradição já consolidada no cenário cultural da Bahia e tem o objetivo de valorizar, reconhecer e premiar a produção teatral do estado, abrindo espaço para o surgimento de novos talentos. A premiação surgiu como parte da Política de Responsabilidade Social da Braskem que define como foco de sua atuação a inclusão social, a educação ambiental e promoção cultural com a finalidade de estabelecer as bases da consciência cidadã e estimular o crescimento sustentável.

 CONFIRA OS INDICADOS AO 19º PRÊMIO BRASKEM DE TEATRO:

ESPETÁCULO ADULTO

1.         Arbítrio

2.         Fim de Partida

3.         Meu nome é Mentira

4.         Namíbia, não!

5.         Sargento Getúlio

ESPETÁCULO INFANTO-JUVENIL

1.         As Rimas de Catarina

2.         Brincando com a Morte

3.         Protocolo Lunar

4.         Remendo, remendó

5.         Um dia a casa clown

DIREÇÃO

1.         Ewald Hackler – Pela direção do espetáculo “Fim de Partida”

2.         Gil Vicente Tavares – Pela direção do espetáculo “Sargento Getúlio”

3.         João Lima – Pela direção do espetáculo “As Rimas de Catarina”

4.         Lázaro Ramos – Pela direção do espetáculo “Namíbia, não!”

5.         Luiz Marfuz – Pela direção do espetáculo “Meu nome é Mentira”

ATRIZ

1.         Diana Ramos – Pela interpretação no espetáculo “Outra Tempestade”

2.         Maria de Souza – Pela interpretação no espetáculo “Fim de Partida”

3.         Simone Brault – Pela interpretação no espetáculo “Quase Nada”

4.         Vera Pessoa – Pelas interpretações nos espetáculos “Meu nome é Mentira” e “Vestir os nus”

ATOR

1.         Amarílio Sales – Pela interpretação no espetáculo “Diário do Farol: Onde as palavras se revelam inadequadas”

2.         Bira Freitas – Pela interpretação no espetáculo “As Rimas de Catarina”

3.         Carlos Betão – Pela interpretação no espetáculo “Sargento Getúlio”

4.         Gideon Rosa – Pela interpretação no espetáculo “Fim de Partida”

5.         Rafael Medrado – Pela interpretação no espetáculo “Camila Baker”

TEXTO

1.         A voz do campeão – Autoria de João Alfredo Reis e Edvard Passos

2.         As Rimas de Catarina – Autoria de Ilma Nascimento

3.         Meu nome é Mentira – Autoria de Luiz Marfuz

4.         Namíbia, não! – Autoria de Aldri Anunciação

5.         Quase Nada – Autoria de Marcos Barbosa

REVELAÇÃO

1.         Felipe Soledade – Pela direção do espetáculo “Quase Nada”

2.         Grupo “Teatro Base” – Pelo espetáculo “Arbítrio”

3.         Isis Gledhill – Pela direção do espetáculo “Vestir os nus”

4.         Luiz Antônio Jr. – Pela direção do espetáculo “Remendo, remendó”

5.         Yuri Tripodi – Pela interpretação no espetáculo “Arbítrio”

CATEGORIA ESPECIAL

1.         Eduardo Tudella – Pela iluminação do espetáculo “Sargento Getúlio”

2.         Luciano Bahia – Pela trilha sonora do espetáculo “Meu nome é Mentira”

3.         Pedro Dultra – Pela iluminação do espetáculo “Protocolo Lunar”

4.         Rino Carvalho – Pelo figurino do espetáculo “As Rimas de Catarina”

5.         Zuarte Jr. – Pelo figurino do espetáculo “Outra Tempestade”