7 dicas que vão facilitar sua vida na elaboração de um projeto cultural (a #1 é imbatível)

 

Muitas pessoas entram em contato conosco dizendo que têm um projeto e que querem levá-lo adiante. Entretanto, na maioria das vezes o que elas têm é uma ideia e não um projeto.

 

A elaboração de um projeto cultural precisa sempre responder a estas perguntas:

  • O que?
  • Quanto?
  • Quando?
  • Onde?
  • Por quanto tempo?
  • Com quem?
  • Quanto custa?

 

Falando assim parece simples, e hoje vamos mostrar pra você que realmente é.

 

Confira aqui as 7 dicas que vão facilitar seu trabalho no momento de elaborar um projeto cultural (e ainda receba uma super dica no fim do artigo):

 Como escrever um objetivo

1. Conheça a fórmula que vai simplificar o objetivo do seu projeto

O objetivo de um projeto é o fim que se deseja atingir. É a meta que se pretende alcançar. Um objetivo é o que move uma pessoa a tomar alguma decisão ou buscar suas aspirações.

Quando falamos de objetivo de um projeto, a maneira mais sintética, objetiva e clara de escrevê-lo é usando a formula:

 

OB = OQ + QT + QD + OD + PQT

Ou seja, objetivo é igual a soma de:

o que + quanto + quando + onde + por quanto tempo.

Vamos a um exemplo:

OQ = Espetáculo de teatro

QT = Um espetáculo (1)

QD = No 2o semestre de 2016

OD = No Rio de Janeiro

PQT = Por uma temporada mínima de 3 meses.

 

Para ficar ainda mais fácil :

Este projeto visa a realização de (QD) (OQ) a ser realizado (QD) em/no (OD) por (PQT).

 

Agora redigindo o objetivo: 

Este projeto visa a criação e apresentação de um espetáculo de teatro a ser realizado no 2o semestre de 2016 na cidade do Rio de Janeiro por uma temporada mínima de 3 meses.

 

Simples, não é? É claro que depois deste parágrafo você pode incluir mais informações em seu objetivo, particularidades de seu projeto, referências artísticas, informações adicionais e o que mais achar importante. Ma lembre-se que menos é mais e que isso é fundamental e não pode faltar NUNCA!

 

elaboração de projeto

 

2.Conheça as palavras-chave para escrever uma justificativa de um projeto

Afinal, o que vem a ser a justificativa de um projeto? A justificativa é o « por quê » de sua realização. Em outras palavras, quais os motivos que fazem você, como proponente, acreditar que ele deva ser feito. É importante pensar, neste momento, em questões inerentes ao projeto, às reflexões que ele poderá proporcionar ou mesmo ao aprendizado que se pode obter a partir de seu consumo.

 

Veja abaixo algumas palavras-chave que poderão ajudá-lo na elaboração da justificativa do seu projeto, mas lembre-se sempre que a resposta para sua justificativa está na pergunta « por que eu desejo realizar este projeto? ».

 

  • Apresentar ao público…
  • Estudar o impacto de…
  • Criar uma relação entre…
  • Criar uma oportunidade de/para…
  • Compartilhar conhecimento sobre…
  • Estimular…
  • Promover a arte…
  • Integrar disciplinas…
  • Dar oportunidade a novos talentos…

 

Pronto para escrever sua justificativa?

 

Elaboração de projetos

3. Descubra como definir o local do meu projeto mesmo sem ter os recursos para viabilizá-lo

Pode parecer difícil definir este local quando o projeto ainda está no papel e quando há uma forte concorrência pelos espaços mais atraentes das grandes cidades, mas definindo ao menos o que seria este local ideal, você garante a definição da envergadura do seu projeto e poderá planejar da melhor forma seu plano de distribuição.

 

Mesmo que o local onde você planejou apresentar seu projeto mude, o ideal é que busque sempre espaços similares em termos de alcance, localização e público para não ter surpresas. Lembre-se que ainda estamos trabalhando com o cenário ideal e hipotético, e que nem sempre todas as nossas demandas para o projeto serão atendidas. Esteja preparado para estas mudanças.

 

elaboração de projeto cultural

4. Veja como fazer um cronograma mesmo sem ter a menor ideia de quando o projeto vai acontecer

Pode parecer um grande desafio definir quando seu projeto será realizado se você está, neste momento, apenas o colocando no papel. Realmente não é fácil. Mas alguns truques podem ajudá-lo a superar este desafio e ter um cronograma perfeito.

 

Para desenvolver o cronograma de seu projeto a primeira tarefa que você deve fazer é listar – sem uma ordem definida – tudo o que terá que realizar para que ele aconteça, desde inscrevê-lo em uma determinada lei até entregar a prestação de contas para o patrocinador. Seja o mais detalhado que puder. Quanto mais informações o projeto tiver, melhor para sua realização.

 

Com a lista pronta em mãos, o segundo passo é colocá-la na melhor ordem que poderá executá-las. Depois que as atividades estiverem em ordem, agora é hora de colocar ao lado de cada uma delas o tempo estimado que irá precisar para realizá-las. Pense em meses ou semanas porque isso irá facilitar o desenvolvimento do cronograma, que idealmente é calculado em meses.

 

Quanto mais realista você for durante o desenvolvimento do seu cronograma, menos surpresas terá futuramente.

 

elaboração de projeto cultural

5. Saiba por onde você deve começar sua ficha técnica

A ficha técnica é uma lista que determina os principais profissionais envolvidos em seu projeto e as atividades que cada um desempenha durante sua execução.

 

Para começar, faça uma lista das pessoas com quem gostaria de trabalhar ou avalie projetos similares ao seu para conhecer quem fez parte de suas equipes.

 

Com a lista em mãos, a segunda etapa é fazer os convites. Mesmo que não tenha os contatos deste profissional, hoje em dia, com as redes sociais, você não apenas consegue uma conexão direta mais rápido como ainda descobre amigos em comum que podem indicá-lo ou dar um parecer sobre os profissionais que selecionou.

 

Todas as pessoas que você colocar em sua ficha técnica devem ter ciência (e estar de acordo, naturalmente) de que seus nomes estão sendo citados no projeto.

 

elaboração de projeto cultural

6. Entenda como fazer um plano de divulgação

O plano de divulgação é o conjunto de ações destinadas à divulgação de seu projeto cultural e compreende materiais como: anúncios em jornais, cartazes, folders, outdoors, panfletos, inserções em rádio, televisão e em novas mídias (como portais e sites), entre outras.

 

Confira aqui os veículos mais comuns que podem fazer parte de seu plano de divulgação:

  • Mídia televisiva
  • Mídia radiofônica
  • Mídia na internet
  • Anúncios em jornais e revistas
  • Cartazes
  • Filipetas (distribuição nas ruas proibida em algumas cidades)
  • Busdoor
  • Outdoor (também proibido em algumas cidades)
  • Taxidoor
  • Marcador de Livro
  • Brindes
  • Faixa em avião
  • Email marketing
  • Redes Sociais
  • Videos virais

 

Ao criar seu plano de divulgação, lembre-se de não se limitar à esta lista. Quanto mais autêntica e inovadora for sua comunicação, mais chances você tem de atrair novos espectadores para seu projeto.

 

elaboração de projeto cultural

7. Saiba o que é o plano de distribuição

O plano de distribuição é a forma como seu produto cultural irá chegar às mãos do seu público-alvo. Trata-se de uma etapa fundamental no desenvolvimento de um projeto, mas que muitas vezes é deixada de lado pelo proponente porque ele não consegue visualizar de que forma seu produto será distribuído.

 

Para desenvolver um plano de distribuição, você précisa saber (ou estimar) o local onde irá realizar seu projeto, o tempo em que ele estará acessível para o público (normalmente contado em dias ou apresentações), a capacidade do local e os preços aplicados (ou a gratuidade, caso não haja cobrança de ingressos). Com estes números em mente, você poderá fazer uma projeção de quanto pode receber de receita pelo projeto.

 

Mesmo que seja uma estimativa hipotética, o plano de distribuição é obrigatório não apenas para que seu projeto seja inscrito em leis e editais como também para que seu futuro patrocinador e você sabiam quantas pessoas poderão ser atingidas por ele.

 

elaboração de projetos culturais

Um manual que vai ajudar você na elaboração de um projeto cultural:

 

Se você curtiu estas dicas e quer se aprofundar mais na elaboração de projetos, que tal conhecer o eBook  Eu tenho um projeto… Manual prático para tirar suas ideias da gaveta?

 

Ele é o único que mostra como produzir seus projetos culturais do início ao fim e ganhar dinheiro suficiente para não precisar de outro emprego, mesmo que você não tenha ideia por onde começar.

 

Então, se você é um artista ou produtor que está em busca de um passo-a-passo, desde a página em branco até os aplausos finais, ele não é o melhor, mas sim a única solução para colocar suas ideias no mundo e viver do seu talento como artista.

 

Se você estiver disposto a trabalhar e a criar um projeto cultural desde o papel em branco, quando você ainda não souber nem mesmo qual o nome de seu projeto, até atingir seu público, naturalmente ganhando dinheiro para viver de sua idéia, o eBook Eu tenho um projeto… Manual prático para tirar suas ideias da gaveta foi feito pra você

 

O eBook é totalmente online. Ou seja, você poderá lê-lo quando e onde quiser: do seu computador, laptop, celular, tablet, kindle ou leitor digital.

 

Veja o que você vai aprender:

Na primeira parte do livro você vai entender:

  • O dilema da página em branco
  • Como utilizar o manual
  • Onde tudo começou
  •  O primeiro passo
  • Material de trabalho

Na segunda parte vamos abordar conceitos como :

  • O sucesso
  • A resistência
  • A persistência

Na terceira parte começamos a colocar a mão na massa :

  • A ideia
  • O batizado de um projeto
  • Objetivo do projeto
  • A Justificativa do projeto
  • As particularidades de um projeto
  • O local
  • Direitos Autorais
  • O cronograma
  • A ficha técnica
  • O plano de divulgação
  • O plano de distribuição
  • O orçamento

Na quarta parte vamos sair do papel para a prática :

  • Como tirar seu projeto do papel
  • Contrapartidas ao patrocinador
  • A caixa de ferramentas
  • Leis de Incentivo
  • Captação de recursos
  • Editais privados
  • Editais públicos
  • Auto-financiamento
  • Empréstimos
  • Patrocínio afetivo
  • Crowdfunding
  • Anjos e investidores
  • Desenvolvendo uma estratégia

Na quinta parte vamos começar a executar seu projeto :

  • Consegui captar! E agora?
  • Assessoria de Imprensa
  • Relação com patrocinadores
  • Gestão de equipe
  • O grande dia
  • Relacionamento com o publico

E por ultimo vamos finalizar o projeto e nos preparar para uma nova ideia :

  • Prestação de contas e finalização
  • De volta ao começo

O mais bacana é que você terá acesso ao eBook automaticamente depois da compra, diretamente em seu computador.

 

Você deve estar se perguntando, quanto eu terei que pagar por isso?

Antes de responder isso eu te pergunto:

  • Quanto vale pra você um eBook que vai te ensinar a realizar suas ideias?
  • Quanto vale ser reconhecido como artista?
  • Quanto vale não precisar trabalhar mais em algo que você não ama?
  • Quanto vale se dedicar a uma ideia em que você realmente acredita?

 

Tudo isso através de um eBook que vai ajudar você na elaboração de um projeto cultural, da página em branco aos aplausos do público, em um passo-a-passo com todos os segredos que levamos anos para descobrir.

 

Pra você ter uma idéia, quando a DA GAVETA realiza a elaboração de um projeto isso não custa menos do que R$ 800. E hoje você vai poder comprar um eBook que vai ajudar você a fazer sozinho todos os seus projetos por apenas R$ 15,67.

 

Agora você tem 3 opções:

  • A primeira opção é não fazer nada.
  • A segunda opção é fazer como nós fizemos, levando anos pra descobrir como elaborar um projeto e como executá-lo até o final. Esta é a opção mais cara e demorada.
  • A terceira opção é comprar o livro agora mesmo.

 

Se você quer um manual que vai ajudar você a realizar suas ideias e finalmente poder viver fazendo o que ama, ganhando dinheiro com isso e transformando o mundo através da cultura, clique no botão abaixo agora mesmo.

 

Você vai ser direcionado para o site da Amazon e poderá adquiri-lo rapidamente. Depois, é só baixar o aplicativo gratuito da KINDLE em seu celular, notebook, computador ou tablet pra começar a leitura hoje mesmo.

 

Este é o caminho mais curto para começar a realizar suas ideias hoje mesmo! Compre agora mesmo Eu tenho um projeto… Manual prático para tirar suas ideias da gaveta e comece já a transformar o mundo com suas idéias e ser reconhecido como artista.

 

EuQueroAgora

 

PS. ainda não se convenceu? Clique aqui para baixar uma amostra dos primeiros capítulos gratuitamente! :) A gente garante!

 

 


 

 

newsletter

FSA: Resultado Produção de Conteúdos às TVs Públicas

Com adesão de todas as regiões do País e R$ 60 milhões de investimento, a primeira Chamada Pública da Linha de Produção de Conteúdos destinados às TVs Públicas teve seu resultado divulgado nesta quarta-feira, 02 de setembro. A ação do Programa Brasil de Todas as Telas é produto da parceria entre a Agência Nacional do Cinema – ANCINE, a Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SaV) e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

Brasil de todas as telas TVs Públicas

Com o objetivo de regionalizar a produção de conteúdos audiovisuais independentes, para destinação inicial ao campo público de televisão, foram abertos cinco editais em todo o Brasil, o que resultou na participação de 26 unidades federativas e 768 propostas inscritas – maior número já alcançado por uma linha do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).

 

“É uma felicidade ver o interesse de todo o país para esse edital. Isso demonstra como o brasileiro precisa e quer se ver mais nas telas, se reconhecer no que assiste. Serão mais de 200 horas de programação inédita feita por talentos brasileiros, para brasileiros. Será a oportunidade de mostrar nossos diferentes sotaques, nossas culturas diversas – da periferia de uma grande cidade a uma aldeia indígena – que tanto nos une, quanto nos diferencia”, comemora o diretor-presidente da ANCINE, Manoel Rangel.

 

Do total de propostas inscritas, 94 foram selecionadas, contemplando 83 empresas brasileiras independentes. Da Região Norte foram selecionadas 18 propostas; da Região Nordeste, 16 propostas; à Região Centro Oeste coube 19 propostas; da Região Sudeste foram escolhidas 23 propostas e a da Região Sul, 18 propostas.

 

As propostas selecionadas atendem a 24 perfis de programação definidos nos editais: 10 perfis dedicados ao público infantil, correspondendo a 36 propostas; 05 perfis dedicados ao público jovem, correspondendo a 22 propostas; e 09 perfis dedicados ao público adulto, correspondendo a 36 propostas.

 

Serão aproximadamente 250 horas de programação inédita (20h de obras seriadas de animação; 51h de obras seriadas de ficção; e 179h de obras seriadas e não seriadas de documentários) para cerca de 200 canais de programação da TV paga e emissoras que exploram a licença de radiodifusão educativa dos segmentos comunitário, universitário e educativo e cultural do Campo Público de Televisão.

 

Esta ação contou desde o início com o apoio da Associação Brasileira de Televisão Universitária (ABTU), da Associação Brasileira de Canais Comunitários (ABCCOM) e da Associação Brasileira de Emissoras Públicas Educativas e Culturais (ABEPEC).

 

Resultados por região:

 

Na Chamada Pública PRODAV 08/2014 – Região Norte,foram escolhidas 18 propostas, originárias dos estados do Amazonas (08 propostas), Pará (06 propostas), Rondônia (01 proposta), Tocantins (01 proposta) e Acre (02 propostas). Veja aqui os contemplados desta região.

 

Na Chamada Pública PRODAV 09/2014 – Região Nordeste foram selecionadas 16 propostas, dos estados de Pernambuco (04 propostas), Bahia (06 propostas), Piauí (01 proposta), Maranhão (02 propostas), Paraíba (01 proposta) e Ceará (02 propostas); Veja aqui os contemplados desta região.

 

A Chamada Pública PRODAV 10/2014 – Região Centro Oeste selecionou 19 propostas originárias do Mato Grosso (02 propostas), Mato Grosso do Sul (02 propostas), Goiás (09 propostas) e também do Distrito Federal (06 propostas); Veja aqui os contemplados desta região.

 

Da Chamada Pública PRODAV 11/2014 – Região Sudeste selecionou-se 23 propostas, sendo 09 de São Paulo, 02 do Rio de Janeiro, 11 de Minas Gerais e 01 do Espírito Santo, lembrando que na Região Sudeste o edital previa que os recursos seriam divididos entre São Paulo e Rio de Janeiro; e Minas Gerais e Espírito Santo; Veja aqui os contemplados desta região.

 

Finalizando a lista, na Chamada Pública PRODAV 12/2014 – Região Sul foram selecionadas 18 propostas, sendo 06 do Rio Grande do Sul, 09 do Paraná e 03 de Santa Catarina. Veja aqui os contemplados desta região.

 

Saiba mais sobre o Programa Brasil de Todas as Telas

 

O Programa BRASIL DE TODAS AS TELAS é uma ampla ação governamental que visa transformar o País em um centro relevante de produção e programação de conteúdos audiovisuais. Trata-se do maior programa de desenvolvimento do setor audiovisual já construído no Brasil, formulado pela Agência Nacional do Cinema – ANCINE em parceria com o Ministério da Cultura – MinC, e com a colaboração do setor audiovisual por meio de seus representantes no Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual – FSA.

 


 



RioFilme e Rio Film Commission tornam pública a Plataforma de Parceria Internacional de Projetos

A RioFilme e a Rio Film Commission tornam pública a Plataforma de Parceria Internacional de Projetos.

Esta nova e inédita iniciativa tem a finalidade de gerar visibilidade e oferecer uma interface de contato entre empresas produtoras da Cidade e do Estado do Rio de Janeiro e agentes internacionais para a realização de projetos de longa-metragem, seja coprodução, investimento, comercialização, agenciamento de vendas ou qualquer outra forma de parceria internacional.

Nesta primeira edição, os produtores podem inscrever projetos de longa-metragem de ficção, documentário e animação em qualquer fase, desde a etapa de desenvolvimento até a comercialização, de empresas produtoras sediadas na Cidade ou Estado do Rio.

 

rio film comission Plataforma de Parceria Internacional de Projetos

No formulário de inscrição, devem ser fornecidas as informações em inglês do projeto, como título, etapa de realização, sinopse, finalidade da inscrição, perfil da produtora, entre outros. Em caso de interesse de algum parceiro internacional, este estabelecerá uma interface de diálogo diretamente com a empresa produtora.

Além de estar disponível permanentemente online, a Plataforma será anunciada para todos os parceiros internacionais da RioFilme e Rio Filme Commission como a Producers Guild of America-PGA (Los Angeles), Independent Feature Project-IFP (New York), Film London, Ile-de-France Film Commission, City of Atlanta, Canada Media Fund, Ontario Media Development Corporation-OMDC (Toronto), Roma Lazio Film Commission, City of Toronto, City of Buenos Aires, INCAA, Mexico City, City of Bogotá, Santiago, Latin American Film Commission Network, entre outros. A plataforma também será apresentada em festivais e mercados internacionais.

Acesse agora o Regulamento e a Ficha de Inscrição

 



ICAB: instituto de conteúdos audiovisuais é lançado pela ABPITV

A Associação Brasileira de Produtoras Independentes de Televisão (ABPITV) anunciou nesta quinta-feira (13/8) a criação do Instituto de Conteúdos Audiovisuais Brasileiros (ICAB).

ICABSegundo Mauro Garcia, diretor executivo do ABPITV, o instituto surge para assumir gradativamente as atividades de capacitação, de fóruns de discussão e reflexão sobre produção e distribuição e consumo de conteúdo audiovisual nas mais diferentes telas.

O portal do ICAB está no ar (icabrasil.org) e reúne uma biblioteca de artigos, teses e pesquisas sobre audiovisual e economia criativa no Brasil. “A ideia é que esses conteúdos possam se tornar uma referência para pesquisas de profissionais e estudantes de comunicação e audiovisual em geral”, afirmou Garcia.

Configurado como uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), o ICAB também promoverá uma extensa pesquisa sobre a história da produção independente no Brasil, coordenada pelo jornalista e diretor Gabriel Priolli e com previsão de lançamento para 2016.

A ideia é produzir um amplo relatório sobre o histórico do setor e, para isso, ele trabalha com o apoio das jornalistas e pesquisadoras Angélica Moura e Marcia Maresti, que estão visitando bibliotecas, bancos de imagem, arquivos de jornais e acervos particulares, em busca de informações sobre todas as formas de produção de imagem eletrônica desenvolvidas no Brasil, fora das emissoras de TV.

*Informações dos sites do Meio&Mensagem e da ABPITV

Fonte do texto: Cultura e Mercado

DOCTV II e FICTV I tem inscrições abertas para projetos audiovisuais

DOCTV II e FICTV I
Em parceria com a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), a Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAv/MinC) e a TV Brasil, lançam dois editais para seleção de projetos de documentários e telefilmes de ficção: o DOCTV II e o FICTV I.
Os editais fazem parte do Programa CPLP Audiovisual, que tem o objetivo de fomentar a produção e a teledifusão de conteúdos audiovisuais entre os países lusófonos. Serão lançados editais também em Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.
minc, DOCTV II, FICTV I

As inscrições para o DOCTV II e FICTV I no Brasil estarão abertas até 31/10/2015.

 

 O CPLP Audiovisual desenvolve-se em três eixos programáticos: DOCTV CPLP II, FICTV CPLP I e Nossa Língua I. O DOCTV CPLP II, de fomento à produção e à teledifusão, prioriza ações de capacitação, coprodução e teledifusão de documentários a partir de um modelo de operação em rede, por meio do qual cada país participante coproduza um documentário nacional e as respectivas emissoras de televisão promovam sua teledifusão. Esta edição busca selecionar nove projetos inéditos de documentários de 52 minutos, com orçamento de € 50 mil cada, que ofereçam uma visão contemporânea das realidades sócio-político-culturais dos Estados Membros da Comunidade.
O FICTV CPLP I, de fomento ao desenvolvimento, produção e teledifusão de obras de ficção, realiza a primeira edição com duas linhas de ação: “Produção”, por meio de chamadas nacionais em Angola, Brasil, Moçambique e Portugal que objetivam selecionar quatro projetos inéditos para a produção de telefilmes de ficção de 52 minutos, com orçamento de € 150 mil cada, a serem elaborados a partir de adaptação de obra literária nacional; e “Desenvolvimento de Projetos”, mediante convocatórias nacionais em Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, visando a seleção de cinco projetos inéditos para desenvolvimento de projetos técnicos de realização de telefilmes de ficção de 52 minutos, com orçamento de € 40 mil, a partir de adaptação de obra literária nacional.
 O Nossa Língua I, primeiro programa de intercâmbio e teledifusão de documentários da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, fará uma seleção de quatro documentários, não inéditos, em cada um dos países integrantes da Rede CPLP, para montar uma série de 36 obras sobre realidades nacionais contemporâneas.
Mais informações: AQUI.
Fonte:
Karine Gonzaga
Com informações da Secretaria do Audiovisual (SAv)
Ministério da Cultura