O segredo das pequenas conquistas

 

Você sabe como funciona o segredo das pequenas conquistas?
Nossa geração foi determinada a ser bem sucedida em tudo. Ter um bom emprego, um bom cargo, um bom salário, uma boa posição social, um bom lugar para morar, um bom marido (ou esposa)…

 

Somos rodeados de todo o tipo de pressão e cobrança para obter grandes conquistas o tempo inteiro e nos enquadrar em um padrão que sabe-lá-quem acreditou que é o melhor para nós. E ocupamos tantas horas de nossas vidas literalmente “correndo atrás” destas “medalhas de ouro” que não sobra tempo para realizar, muito menos para celebrar as pequenas conquistas do dia a dia.

 

Lamento informar que a felicidade não está nestas grandes coisas que nos impuseram, mas nos pequenos momentos em que estamos felizes e que temos deixado passar. Lamento informar que não “temos” felicidade, nós a vivenciamos exatamente nas pequenas coisas que nos fazem felizes dia após dia.

 

Um banho quente, uma garrafa de vinho, uma lambida do seu cachorro, um sorriso, uma leitura agradável, um encontro inesperado, uma tarefa realizada, uma superação conquistada, uma satisfação depois de algum pequeno momento… Você poderia dizer qual foi a última pequena conquista que teve hoje? Elas estão tão presentes no nosso dia-a-dia, mas nós simplesmente não as enxergamos porque estamos correndo atrás de medalhas.

 

Então, que tal pegar um caderninho e anotar – todos os dias – suas conquistas diárias? Se você preferir, tem um site que eu uso para isso e recomendo que conheça. Se chama GRATEFULNESS.IO

 

Todas as noites, recebo um email perguntando a que eu sou grata. É só responder o email e, no final da semana, ele me manda a lista de gratidões.

 

Simples, não? Exatamente como uma pequena conquista deve ser.

Comece pequeno

 

Hoje vou mostrar para você como uma ideia simples e inusitada pode se transformar em um projeto cultural de grande sucesso.

O projeto raubdruckerin começou em 2006 em Portugal, quando a artista Emma-France Raff, junto com seu pai, desenvolveu a ideia de utilizar o que a cidade lhes oferecia para criar estampas inusitadas.

O bacana desta iniciativa – e o motivo pelo qual achei interessante colocá-la aqui – é que, muitas vezes não enxergamos ideias óbvias, fáceis e baratas porque estamos focados em grandes projetos.

E isso acontece não apenas quando falamos sobre nossos projetos culturais, mas, sobretudo, em nossa vida pessoal. Muitas vezes nos vemos pensando em uma grande viagem, em uma grande aventura, em um grande acontecimento enquanto a louça se acumula na pia. E se ao invés de buscar a felicidade como um fim, você se esforçasse para ser feliz hoje? São 24 horas que você tem! Simplifique!

Comece a pensar como você pode simplificar seus sonhos, sua rotina, seus projetos, as tarefas que te dão menos prazer. Minimize, reduza, destralhe. Pense no seu tempo, na sua caixa de entrada, no seu desktop, no seu armário, no seu dia-a-dia. Simplifique! 

Se você ainda não colocou um projeto no papel, se não o inscreveu em uma lei de incentivo, se ainda não achou um patrocinador, se ainda não tem uma equipe ou mesmo se não sabe por onde começar, pense pequeno. Comece pequeno. Mas comece já. Não deixe que os grandes pensamentos travem sua ação. Vinte e cinco minutos por dia fazendo algo conectado com seus sonhos pode fazer toda a diferença.

Lembre-se também que projetos menores podem garantir recursos para você dar passos maiores e realizar grandes sonhos. Para você ter uma ideia, de tempos em tempos o projeto raubdruckerin tem um aviso sobre alta demanda de pedidos. Sim, eles estão fazendo arte, estão se remunerando, tiveram uma excelente ideia e, acima de tudo, de forma simples!

Pronto para simplificar?