Mindset do fracasso: por que nem todos os artistas dão certo?

Será que existe uma forma de dar certo e ter um mindset de sucesso no mundo das artes?

 

Sabe aquela sensação de que nosso mercado é considerado injusto, competitivo e desleal e que somente poucos serão bem-sucedidos em suas carreiras artísticas?

 

Balela!

 

Fomos condicionados e nos condicionamos a acreditar nesta história de tal forma que ela mesma serve para justificar nossos próprios fracassos.

 

Criamos o “mindset do artista” onde ele é sempre “o coitado” que deseja mudar o mundo com sua arte enquanto todas as pessoas ao seu redor estão mais preocupadas com suas próprias vidas e umbigos.

 

Se você, em algum momento, pensou assim, está na hora de mudar seus conceitos agora mesmo ou vai continuar, para sempre, recebendo o papel de “coitado” no palco da vida.

 

Desde cedo colocamos em nossa cabeça de que vivemos em um mercado difícil, com poucas oportunidades e que privilegia uns em detrimento de outros.

 

Isso vem desde a formação do ator, desde as formações universitárias, desde os cursos livres que fazemos…

Ninguém nos ensinou a acreditar em nós mesmos.

 

E ninguém nos disse que este é o primeiro (e mais importante) passo para dar certo.

 

O pior de tudo é que aprendemos a buscar a culpa do insucesso fora de nós mesmos e continuamos repetindo isso aos quatro ventos, acreditando em verdades absolutas que são, simplesmente, falsas!

 

É o amigo que não quer comprar nosso ingresso, o teatro que cobra caro pelo aluguel, o público que prefere produtos da indústria cultural, é a crise que não faz as pessoas irem a uma exposição, o índice de analfabetismo alto que não faz comprarem um livro…

 

Decoramos que a culpa não é nossa e isso fez com que a vida fosse muito mais fácil, apesar de distante daquilo que sempre sonhamos!

 

Agora me diga…

 

Ser médico é fácil?

 

Ser empreendedor digital é tranquilo?

 

Abrir uma loja (do que quer que seja) é molezinha?

 

Você acha mesmo que seu amigo só faz isso com você ou ele também pede uma consulta grátis pro médico-amigo, tenta burlar o sistema digital compartilhando o login de um produto online ou ainda pede desconto na loja, mesmo sabendo que pagaria mais caro por determinado produto?

 

Você acha mesmo que o teatro é o grande “malvado” no sistema ou qualquer empreendedor passa pela mesma situação com bancos, instituições financeiras e fornecedores em geral?

 

Você acredita que sua vida seria muito mais fácil se você tivesse que abrir uma loja de domingo a domingo, cuidar do seu negócio, lidar com fornecedores e clientes insatisfeitos?

 

life-862965_1280

Está na hora de dizer chega e acreditar que você pode.

(ou simplesmente desistir de dar certo)

 

Fato é que enquanto você não assumir o controle de sua carreira artística continuará, para sempre, neste papel, pulando de insucessos para insucessos, e permitindo que sua vida seja ditada por outros que não você!

Por que isso acontece?

 

Infelizmente alguns comportamentos e atitudes nos colocaram dentro de uma bolha de onde não conseguimos sair:

 

  • Não nos aperfeiçoamos fora de nosso círculo de conhecimento. Jamais buscamos formações de empreendedorismo, mindset, produtividade, hábito ou desempenho.

 

  • Não consideramos o mundo das artes como um mercado (ou lidamos com este assunto de forma polêmica) e, portanto, reclamamos de que os ingressos não estão sendo vendidos ao mesmo tempo que gritamos aos quatro ventos de que nosso trabalho não tem preço. Tem ou não tem? É claro que tem! Dê-se o valor ou ninguém mais lhe dará!

 

  • Acreditamos que não é possível viver apenas de uma carreira artística ao mesmo tempo em que sonhamos todos os dias com isso. Vivemos um dilema interno entre ir para os ensaios e buscar formas paralelas de receita, simplesmente nos desfocando o tempo inteiro de nossos objetivos maiores, de nossos SONHOS!

 

  • Não sabemos precificar nosso trabalho e talento, não sabemos nos valorizar e, principalmente, não buscamos conhecimento para suprir nossas deficiências.

 

  • Acreditamos que nosso maior investimento é atuar, decorar, ensaiar, treinar, praticar, quando, além disso, é preciso investir de verdade também em cursos, formações e mentores fora do mundo das artes! Isso não significa que você vá se tornar um artista-empreendedor (a não ser que você queira isso, caminho que eu super recomendo atualmente para quem se interessa por isso). Significa apenas que você estará mais preparado para enfrentar o mercado, que é igual para todos.

 

Há algum tempo, me dei conta de que era preciso dar alguns passos atrás para poder chegar mais à frente. Mapeei minhas deficiências, busquei mentores e entendi que, para aumentar meus rendimentos e poder viver da minha arte (escrever livros), eu precisava investir em algumas qualidades que não tinha.

É claro que isso dependia de valores financeiros, que eu não tinha.

 

Mas ao invés de simplesmente desistir por achar que eu não poderia pagar o preço de algo que, em poucos meses mudaria minha vida, eu criei um plano de ação para obter estes valores, recuar em meus planos, me dedicar a estes estudos e voltar para o mercado.

 

Você pode tudo o que quiser, desde que esteja verdadeiramente disposto a fazê-lo.

 

E foi assim que o 2o semestre de 2014 e primeiro semestre deste ano se tornaram um divisor de águas em minha carreira.

 

E isso se deu, principalmente, pelos cursos que fiz, pelos livros que li e pelas pessoas com quem me relacionei: meus mentores.

Em que formações, curso e livros você investiu este ano?

 


 

newsletter

Como fazer o orçamento de um projeto cultural perfeito e sem falhas

O desafio do orçamento de um projeto cultural completo

Um orçamento é o cálculo prévio das despesas necessárias para se realizar uma obra, uma estimativa de custos. Com uma definição tão simples como esta, por que, afinal, todos os artistas têm medo de fazer o orçamento de um projeto cultural para seu projeto?

 

Para perder este medo para sempre, vamos considerar o orçamento como uma grande lista de ferramentas necessárias para se desenvolver um projeto com seus devidos valores. Simples assim… e chegaremos lá!

 

O princípio básico para a realização de seu projeto é ter as ferramentas necessárias para que ela aconteça.

 

Entende-se por ferramentas:

  • os utensílios de trabalho (materiais, acessórios, etc),
  • o ambiente propício (local de ensaio, local de execução e outros locais)
  • e os profissionais adequados (sua ficha técnica).

 

Juntas, estas três ferramentas podem gerar o cálculo dos recursos financeiros totais que você precisa.

 

O primeiro passo é listar estes itens fundamentais.

Você pode elencá-los nestas categorias: utensílios de trabalho, ambiente e profissionais.

 

orçamento de um projeto cultural

 

Utensílios de trabalho

Quais são as ferramentas que você precisa? Se você é um artista plástico, precisará de telas, pincéis, cavaletes, etc. Se é um cineasta, seus utensílios de trabalho correspondem à câmeras, refletores, microfones. Se seu projeto é um show, você precisa de instrumentos musicais, refletores, microfones, tripés, etc.

 

Liste todos os utensílios que precisa, mesmo que não estejam diretamente ligados à sua atividade, mas de alguém que irá contratar, como por exemplo, material para a execução de figurinos e cenários.

 

Lembre-se de pensar inclusive em seu dia-a-dia, indo dos itens macro aos pequenos utensílios usados em sua rotina de produção (como cartuchos de impressora, material de escritório).

 

Isso irá ajudá-lo a não esquecer nenhum item do seu orçamento.

 

Ambiente

O ambiente refere-se ao local ou locais por onde seu projeto irá passar ao longo de sua produção. Alguns exemplos de ambiente são: a locação de salas de ensaio, locação de estúdios de gravação (de imagem e som), locação de teatro, espaço cultural, etc.

 

Onde seu projeto pode ser realizado? Você precisa alugar um espaço para ensaiar ou produzir? Necessita alugar um espaço para se apresentar? Precisa de autorizações para oferecer uma determinada atividade ao ar livre?

 

Este é o momento de listar todos os locais por onde você irá passar. Lembre-se de avaliar também se os ambientes estão prontos para recebê-lo ou se precisam de algum tipo de adaptação, acessório ou equipamento.

 

Em caso positivo, não se esqueça de listar também todos os equipamentos que precisarão ser alocados para seu projeto (como equipamento de som, luz, projeção, máquina de fumaça, etc).

 

Profissionais adequados

A primeira pessoa que você não deve esquecer na lista de profissionais do seu projeto é você. Pode parecer piada, mas já recebemos diversos orçamentos de clientes que pensaram em tudo, menos em si mesmos.

 

Você é um empreendedor cultural, quer desenvolver um projeto e deseja ser remunerado por seu trabalho, certo? Então nesta lista, você é o primeiro!

 

Agora que você já se garantiu no projeto, comece pensando em todos os cabeças de equipe. Dê uma olhada na ficha técnica de seu projeto para ter certeza de que não está esquecendo ninguém.

 

Se você está desenvolvendo um produto audiovisual, precisará de um diretor, um diretor de arte, um roteirista, um iluminador e muitos outros. Se seu projeto é um livro, pense no capista, diagramador, editor, etc.

 

É fundamental fazer o exercício do macro até o micro. Você deve não apenas ser capaz de listar os cabeças de equipe e seus assistentes, mas também pensar em todos os profissionais que são importantes para você e que também farão parte do seu dia-a-dia, como um contador, um assistente, uma secretária, um analista financeiro e até mesmo um serviço terceirizado de motoboys.

 

Não se preocupe com o tamanho da lista e seja o mais completo possível. Afinal, ainda não estamos falando de dinheiro e sim de desenvolvimento de orçamento.

 

orçamento de um projeto cultural 

Transformando recursos em orçamento

Finalizada esta etapa, temos uma lista completa de itens subdivididos em 3 categorias : utensílios, ambiente e profissionais. Agora é hora de transformar cada item desta lista em um recurso numérico, em um valor.

 

Não é um bicho de sete cabeças, certo?

 

Feito isso, você vai subdividir o orçamento em quatro grandes blocos:

– Pré-produção

– Produção

– Divulgação

– Custos administrativos

 

A maior parte dos modelos de orçamento em leis e editais segue este modelo de blocos, salvo exceções. E isso facilita ainda mais sua organização. É só pegar sua lista e ordená-la seguindo estes blocos.

 

Assim, você terá não apenas o valor de cada item previsto como também o valor total para a realização do seu projeto. Basta, para isso, somar todos os valores que foram colocados na última coluna, à direita, do seu orçamento.

 

O primeiro orçamento a gente nunca esquece

Este primeiro orçamento realmente será mais trabalhoso que os próximos que você fará, simplesmente pelo fato de ser o primeiro. Após finalizado, ele servirá de modelo do que seria ideal e é a partir daí que voce poderá fazer suas considerações e adaptações futuras, quando necessárias.

 

Como facilitar ainda mais a realização de orçamentos

Mas a gente não para por aí, a maior questão que envolve um orçamento é aquela sensação que nos persegue de que estamos esquecendo alguma coisa, não é?

 

Foi pensando exatamente nisso que criamos os KITS de Modelos de Planilhas de Orçamento para cada área de atuação cultural.

 

orçamento de um projeto cultural

Planilhas de Música

Já pensou ter acesso a 6 modelos de planilhas, com todos os itens necessários e fórmulas prontas para realizar seus projetos de música? Este kit de planilhas conta com os seguintes itens:

  • orçamento para CD,
  • orçamento para DVD,
  • orçamento para show,
  • orçamento para turnê,
  • orçamento para videoclipe,
  • orçamento para festival de música.

 

orçamento de um projeto cultural

Planilhas de Teatro

Se seu interesse é atuar com projetos de artes cênicas, seu lugar é o palco e estas planilhas são para você. Já pensou ter acesso a modelos de planilhas, com todos os itens necessários e fórmulas prontas para realizar seus projetos de música? Este kit de planilhas conta com os seguintes itens:

  • orçamento de montagem,
  • orçamento de musical,
  • orçamento de temporada,
  • orçamento de turnê
  • orçamento de festivais.

 

orçamento de um projeto cultural

Planilhas de Literatura

Se sua praia é a literatura, este kit é para você.

As planilhas que fazem parte deste kit são:

  • orçamento de livro,
  • orçamento de eBook
  • orçamento para evento literário.

 

orçamento de um projeto cultural

 

Planilhas Audiovisuais

Se você tem um projeto audiovisual, mas não sabe nem por onde começar o orçamento, este kit é para você.

Ele conta com:

  • um orçamento geral que pode ser utilizado para curta, média ou longa-metragem e
  • um orçamento para festivais audiovisuais.

 

orçamento de um projeto cultural

 

Planilhas de Artes Visuais

Hora de trocar o pincel pelo excel!

Pronto para fazer o orçamento de seu projeto de artes visuais? Este kit conta com duas planilhas:

  • orçamento para realização de exposição
  • orçamento para a criação de catálogo.

 

orçamento de um projeto cultural

 

Planilhas de dança

 

Nem sempre a habilidade que temos com o corpo, temos também com o excel.

Mas não se desespere! Seu seu projeto é de dança, este kit é justamente para ajudar você a fazer os seguintes orçamentos:

  • orçamento de montagem,
  • orçamento de turnê
  • orçamento de festival.

 

Após a compra, o KIT é enviado por email em formato .ZIP. Além das planilhas abertas em excel, você irá encontrar no kit um PDF com mais informações e instruções sobre a formatação das planilhas, se precisar.

 

Pronto! Agora não tem mais desculpa!

 

É só escolher o kit que se encaixa em seus objetivos culturais e acabar de vez com aquele dilema na hora de fazer seus orçamentos.

 


 

 

newsletter

7 dicas que vão facilitar sua vida na elaboração de um projeto cultural (a #1 é imbatível)

 

Muitas pessoas entram em contato conosco dizendo que têm um projeto e que querem levá-lo adiante. Entretanto, na maioria das vezes o que elas têm é uma ideia e não um projeto.

 

A elaboração de um projeto cultural precisa sempre responder a estas perguntas:

  • O que?
  • Quanto?
  • Quando?
  • Onde?
  • Por quanto tempo?
  • Com quem?
  • Quanto custa?

 

Falando assim parece simples, e hoje vamos mostrar pra você que realmente é.

 

Confira aqui as 7 dicas que vão facilitar seu trabalho no momento de elaborar um projeto cultural (e ainda receba uma super dica no fim do artigo):

 Como escrever um objetivo

1. Conheça a fórmula que vai simplificar o objetivo do seu projeto

O objetivo de um projeto é o fim que se deseja atingir. É a meta que se pretende alcançar. Um objetivo é o que move uma pessoa a tomar alguma decisão ou buscar suas aspirações.

Quando falamos de objetivo de um projeto, a maneira mais sintética, objetiva e clara de escrevê-lo é usando a formula:

 

OB = OQ + QT + QD + OD + PQT

Ou seja, objetivo é igual a soma de:

o que + quanto + quando + onde + por quanto tempo.

Vamos a um exemplo:

OQ = Espetáculo de teatro

QT = Um espetáculo (1)

QD = No 2o semestre de 2016

OD = No Rio de Janeiro

PQT = Por uma temporada mínima de 3 meses.

 

Para ficar ainda mais fácil :

Este projeto visa a realização de (QD) (OQ) a ser realizado (QD) em/no (OD) por (PQT).

 

Agora redigindo o objetivo: 

Este projeto visa a criação e apresentação de um espetáculo de teatro a ser realizado no 2o semestre de 2016 na cidade do Rio de Janeiro por uma temporada mínima de 3 meses.

 

Simples, não é? É claro que depois deste parágrafo você pode incluir mais informações em seu objetivo, particularidades de seu projeto, referências artísticas, informações adicionais e o que mais achar importante. Ma lembre-se que menos é mais e que isso é fundamental e não pode faltar NUNCA!

 

elaboração de projeto

 

2.Conheça as palavras-chave para escrever uma justificativa de um projeto

Afinal, o que vem a ser a justificativa de um projeto? A justificativa é o « por quê » de sua realização. Em outras palavras, quais os motivos que fazem você, como proponente, acreditar que ele deva ser feito. É importante pensar, neste momento, em questões inerentes ao projeto, às reflexões que ele poderá proporcionar ou mesmo ao aprendizado que se pode obter a partir de seu consumo.

 

Veja abaixo algumas palavras-chave que poderão ajudá-lo na elaboração da justificativa do seu projeto, mas lembre-se sempre que a resposta para sua justificativa está na pergunta « por que eu desejo realizar este projeto? ».

 

  • Apresentar ao público…
  • Estudar o impacto de…
  • Criar uma relação entre…
  • Criar uma oportunidade de/para…
  • Compartilhar conhecimento sobre…
  • Estimular…
  • Promover a arte…
  • Integrar disciplinas…
  • Dar oportunidade a novos talentos…

 

Pronto para escrever sua justificativa?

 

Elaboração de projetos

3. Descubra como definir o local do meu projeto mesmo sem ter os recursos para viabilizá-lo

Pode parecer difícil definir este local quando o projeto ainda está no papel e quando há uma forte concorrência pelos espaços mais atraentes das grandes cidades, mas definindo ao menos o que seria este local ideal, você garante a definição da envergadura do seu projeto e poderá planejar da melhor forma seu plano de distribuição.

 

Mesmo que o local onde você planejou apresentar seu projeto mude, o ideal é que busque sempre espaços similares em termos de alcance, localização e público para não ter surpresas. Lembre-se que ainda estamos trabalhando com o cenário ideal e hipotético, e que nem sempre todas as nossas demandas para o projeto serão atendidas. Esteja preparado para estas mudanças.

 

elaboração de projeto cultural

4. Veja como fazer um cronograma mesmo sem ter a menor ideia de quando o projeto vai acontecer

Pode parecer um grande desafio definir quando seu projeto será realizado se você está, neste momento, apenas o colocando no papel. Realmente não é fácil. Mas alguns truques podem ajudá-lo a superar este desafio e ter um cronograma perfeito.

 

Para desenvolver o cronograma de seu projeto a primeira tarefa que você deve fazer é listar – sem uma ordem definida – tudo o que terá que realizar para que ele aconteça, desde inscrevê-lo em uma determinada lei até entregar a prestação de contas para o patrocinador. Seja o mais detalhado que puder. Quanto mais informações o projeto tiver, melhor para sua realização.

 

Com a lista pronta em mãos, o segundo passo é colocá-la na melhor ordem que poderá executá-las. Depois que as atividades estiverem em ordem, agora é hora de colocar ao lado de cada uma delas o tempo estimado que irá precisar para realizá-las. Pense em meses ou semanas porque isso irá facilitar o desenvolvimento do cronograma, que idealmente é calculado em meses.

 

Quanto mais realista você for durante o desenvolvimento do seu cronograma, menos surpresas terá futuramente.

 

elaboração de projeto cultural

5. Saiba por onde você deve começar sua ficha técnica

A ficha técnica é uma lista que determina os principais profissionais envolvidos em seu projeto e as atividades que cada um desempenha durante sua execução.

 

Para começar, faça uma lista das pessoas com quem gostaria de trabalhar ou avalie projetos similares ao seu para conhecer quem fez parte de suas equipes.

 

Com a lista em mãos, a segunda etapa é fazer os convites. Mesmo que não tenha os contatos deste profissional, hoje em dia, com as redes sociais, você não apenas consegue uma conexão direta mais rápido como ainda descobre amigos em comum que podem indicá-lo ou dar um parecer sobre os profissionais que selecionou.

 

Todas as pessoas que você colocar em sua ficha técnica devem ter ciência (e estar de acordo, naturalmente) de que seus nomes estão sendo citados no projeto.

 

elaboração de projeto cultural

6. Entenda como fazer um plano de divulgação

O plano de divulgação é o conjunto de ações destinadas à divulgação de seu projeto cultural e compreende materiais como: anúncios em jornais, cartazes, folders, outdoors, panfletos, inserções em rádio, televisão e em novas mídias (como portais e sites), entre outras.

 

Confira aqui os veículos mais comuns que podem fazer parte de seu plano de divulgação:

  • Mídia televisiva
  • Mídia radiofônica
  • Mídia na internet
  • Anúncios em jornais e revistas
  • Cartazes
  • Filipetas (distribuição nas ruas proibida em algumas cidades)
  • Busdoor
  • Outdoor (também proibido em algumas cidades)
  • Taxidoor
  • Marcador de Livro
  • Brindes
  • Faixa em avião
  • Email marketing
  • Redes Sociais
  • Videos virais

 

Ao criar seu plano de divulgação, lembre-se de não se limitar à esta lista. Quanto mais autêntica e inovadora for sua comunicação, mais chances você tem de atrair novos espectadores para seu projeto.

 

elaboração de projeto cultural

7. Saiba o que é o plano de distribuição

O plano de distribuição é a forma como seu produto cultural irá chegar às mãos do seu público-alvo. Trata-se de uma etapa fundamental no desenvolvimento de um projeto, mas que muitas vezes é deixada de lado pelo proponente porque ele não consegue visualizar de que forma seu produto será distribuído.

 

Para desenvolver um plano de distribuição, você précisa saber (ou estimar) o local onde irá realizar seu projeto, o tempo em que ele estará acessível para o público (normalmente contado em dias ou apresentações), a capacidade do local e os preços aplicados (ou a gratuidade, caso não haja cobrança de ingressos). Com estes números em mente, você poderá fazer uma projeção de quanto pode receber de receita pelo projeto.

 

Mesmo que seja uma estimativa hipotética, o plano de distribuição é obrigatório não apenas para que seu projeto seja inscrito em leis e editais como também para que seu futuro patrocinador e você sabiam quantas pessoas poderão ser atingidas por ele.

 

elaboração de projetos culturais

Um manual que vai ajudar você na elaboração de um projeto cultural:

 

Se você curtiu estas dicas e quer se aprofundar mais na elaboração de projetos, que tal conhecer o eBook  Eu tenho um projeto… Manual prático para tirar suas ideias da gaveta?

 

Ele é o único que mostra como produzir seus projetos culturais do início ao fim e ganhar dinheiro suficiente para não precisar de outro emprego, mesmo que você não tenha ideia por onde começar.

 

Então, se você é um artista ou produtor que está em busca de um passo-a-passo, desde a página em branco até os aplausos finais, ele não é o melhor, mas sim a única solução para colocar suas ideias no mundo e viver do seu talento como artista.

 

Se você estiver disposto a trabalhar e a criar um projeto cultural desde o papel em branco, quando você ainda não souber nem mesmo qual o nome de seu projeto, até atingir seu público, naturalmente ganhando dinheiro para viver de sua idéia, o eBook Eu tenho um projeto… Manual prático para tirar suas ideias da gaveta foi feito pra você

 

O eBook é totalmente online. Ou seja, você poderá lê-lo quando e onde quiser: do seu computador, laptop, celular, tablet, kindle ou leitor digital.

 

Veja o que você vai aprender:

Na primeira parte do livro você vai entender:

  • O dilema da página em branco
  • Como utilizar o manual
  • Onde tudo começou
  •  O primeiro passo
  • Material de trabalho

Na segunda parte vamos abordar conceitos como :

  • O sucesso
  • A resistência
  • A persistência

Na terceira parte começamos a colocar a mão na massa :

  • A ideia
  • O batizado de um projeto
  • Objetivo do projeto
  • A Justificativa do projeto
  • As particularidades de um projeto
  • O local
  • Direitos Autorais
  • O cronograma
  • A ficha técnica
  • O plano de divulgação
  • O plano de distribuição
  • O orçamento

Na quarta parte vamos sair do papel para a prática :

  • Como tirar seu projeto do papel
  • Contrapartidas ao patrocinador
  • A caixa de ferramentas
  • Leis de Incentivo
  • Captação de recursos
  • Editais privados
  • Editais públicos
  • Auto-financiamento
  • Empréstimos
  • Patrocínio afetivo
  • Crowdfunding
  • Anjos e investidores
  • Desenvolvendo uma estratégia

Na quinta parte vamos começar a executar seu projeto :

  • Consegui captar! E agora?
  • Assessoria de Imprensa
  • Relação com patrocinadores
  • Gestão de equipe
  • O grande dia
  • Relacionamento com o publico

E por ultimo vamos finalizar o projeto e nos preparar para uma nova ideia :

  • Prestação de contas e finalização
  • De volta ao começo

O mais bacana é que você terá acesso ao eBook automaticamente depois da compra, diretamente em seu computador.

 

Você deve estar se perguntando, quanto eu terei que pagar por isso?

Antes de responder isso eu te pergunto:

  • Quanto vale pra você um eBook que vai te ensinar a realizar suas ideias?
  • Quanto vale ser reconhecido como artista?
  • Quanto vale não precisar trabalhar mais em algo que você não ama?
  • Quanto vale se dedicar a uma ideia em que você realmente acredita?

 

Tudo isso através de um eBook que vai ajudar você na elaboração de um projeto cultural, da página em branco aos aplausos do público, em um passo-a-passo com todos os segredos que levamos anos para descobrir.

 

Pra você ter uma idéia, quando a DA GAVETA realiza a elaboração de um projeto isso não custa menos do que R$ 800. E hoje você vai poder comprar um eBook que vai ajudar você a fazer sozinho todos os seus projetos por apenas R$ 15,67.

 

Agora você tem 3 opções:

  • A primeira opção é não fazer nada.
  • A segunda opção é fazer como nós fizemos, levando anos pra descobrir como elaborar um projeto e como executá-lo até o final. Esta é a opção mais cara e demorada.
  • A terceira opção é comprar o livro agora mesmo.

 

Se você quer um manual que vai ajudar você a realizar suas ideias e finalmente poder viver fazendo o que ama, ganhando dinheiro com isso e transformando o mundo através da cultura, clique no botão abaixo agora mesmo.

 

Você vai ser direcionado para o site da Amazon e poderá adquiri-lo rapidamente. Depois, é só baixar o aplicativo gratuito da KINDLE em seu celular, notebook, computador ou tablet pra começar a leitura hoje mesmo.

 

Este é o caminho mais curto para começar a realizar suas ideias hoje mesmo! Compre agora mesmo Eu tenho um projeto… Manual prático para tirar suas ideias da gaveta e comece já a transformar o mundo com suas idéias e ser reconhecido como artista.

 

EuQueroAgora

 

PS. ainda não se convenceu? Clique aqui para baixar uma amostra dos primeiros capítulos gratuitamente! 🙂 A gente garante!

 

 


 

 

newsletter

As 14 respostas que todo produtor cultural precisa saber

Ao longo de 4 anos de existência, a DA GAVETA PRODUÇÕES já auxiliou mais de 1000 clientes de todos os domínios culturais e em todas as etapas de projetos. Confira aqui as dúvidas mais frequentes e tenha em mãos as 14 respostas que todo produtor cultural precisa saber:

 

As 14 respostas que todo produtor cultural precisa saber

 

1. Quais são os principais documentos necessários para inscrever um projeto em uma lei de incentivo?

Se você está inscrevendo o projeto através de uma pessoa jurídica (empresa / MEI), os documentos comuns são:

– Contrato Social
– Cartão de CNPJ
– Identidade e CPF dos sócios da empresa
– Currículo dos sócios da empresa
– Relatório de atividades culturais da empresa, incluindo produções anteriores, fotos, matérias em jornal e outras comprovações.

Se você está inscrevendo o projeto como pessoa física, os documentos normalmente solicitados são:

– Identidade e CPF
– Currículo

 

2. Quantos projetos eu posso inscrever?

A Lei Rouanet permite que você inscreva até 5 projetos culturais simultâneos (para pessoa jurídica) e até 2 projetos (para pessoa física. As Leis Estadual e Municipal têm regras próprias, que variam de acordo com seus editais. É preciso aguardar a abertura anual do edital para obter a informação correta.

 

3. A “da Gaveta” inscreve projetos em todas as leis?

Sim, atuamos no desenvolvimento do seu projeto, inscrição em leis de incentivo e editais. Não importa se seu projeto tem apenas uma linha elaborada ou se você já tem uma bíblia escrita sobre ele. Desenvolvemos tanto a parte teórica quanto o orçamento e, somente após sua aprovação, migramos para o sistema de inscrição online e o acompanhamos até o resultado final.

 

4. O que é a Lei Rouanet?

A Lei Rouanet, ou Lei no. 8.313 de 23 de dezembro de 1991, possui este nome em homenagem a Sérgio Paulo Rouanet, secretário de cultura de quando a lei foi criada. Ela atua através da isenção de Imposto de Renda (IR) de empresas que são baseadas no lucro real ou pessoas físicas. Normalmente as empresas que utilizam esta lei são de grande porte e atuam a nível nacional (como Petrobrás, Eletrobrás, Furnas, Vale, etc). Através dela empresas podem disponibilizar até 4% do imposto devido para projetos culturais e pessoas físicas podem disponibilizar até 6% do imposto devido. Para inscrever um projeto nesta lei, é necessário apresentá-lo ao Ministério da Cultura e obter sua aprovação no Diário Oficial. Para manter-se sempre atualizado sobre a legislação em vigor e suas instruções normativas, acesse sempre o site oficial do MinC: www.cultura.gov.br

 

5. O que é a Lei do ICMS?

A Lei Estadual de Incentivo à Cultura também é chamada de Lei do ICMS. Por se tratar de uma lei estadual, ela conta com variações de Estado para Estado. A Lei atua através da isenção de Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS), ou seja, as empresas que utilizam esta lei atuam na comercialização de produtos. Para inscrever um projeto nesta lei, é necessário apresentá-lo à Secretaria Estadual de Cultura e obter sua aprovação no Diário Oficial. Para manter-se sempre atualizado sobre a legislação em vigor e suas instruções normativas, acesse sempre o site oficial da Secretaria Estadual de sua região. Somente empresas e pessoas físicas estabelecidas no Estado têm a possibilidade de usufruir dos benefícios desta lei.

 

6. O que é a Lei do ISS?

A Lei Municipal de Incentivo à Cultura também é conhecida como Lei do ISS. Assim como a Lei Estadual, por se tratar de uma lei municipal, ela conta com variações de Munícipio para Município e, infelizmente, nem todos os municípios são atendidos por ela atualmente. A Lei Municipal atua através da isenção de Imposto sobre Serviços (ISS), ou seja, as empresas que utilizam esta lei atuam na oferta de serviços à população. Para inscrever um projeto nesta lei, é necessário apresentá-lo à Secretaria Municipal de Cultura e obter sua aprovação no Diário Oficial. Para manter-se sempre atualizado sobre a legislação em vigor e suas instruções normativas, acesse sempre o site oficial da Secretaria Municipal de seu Estado. Somente empresas e pessoas físicas estabelecidas no município em questão têm a possibilidade de usufruir dos benefícios desta lei.

 

7. O que é a Lei do Audiovisual?

A Lei do Audiovisual ou Lei Federal 8.685 de 1993 atua sob o mesmo princípio da Lei Rouanet, com algumas observações. Ela é voltada exclusivamente para projetos audiovisuais e é regulamentada pela Ancine (Agência Nacional de Cinema) atuando na produção e co-produção de obras audiovisuais e infra-estrutura de produção e exibição. Prevista inicialmente para vigorar até 2003, a lei foi prorrogada por mais 20 anos em 2001. Para inscrever um projeto nesta lei, é necessário apresentá-lo à Ancine e obter sua aprovação no Diário Oficial através de um Certificado de Investimento Audiovisual. Assim como a Lei Rouanet, o limite de Imposto de Renda para pessoas jurídicas é de 4%. Para manter-se sempre atualizado sobre a legislação em vigor e suas instruções normativas, acesse sempre o site oficial: www.ancine.gov.br.

 

8. Quanto tempo demora para meu projeto ser aprovado?

Na lei Rouanet o tempo máximo é de 90 dias. Entretanto, fontes oficiais indicam que o tempo médio tem sido de aproximadamente 36 dias. Isto depende principalmente do tempo que você leva para responder as diligências e também se seu projeto saiu das mãos do analista/parecerista antes de uma reunião mensal da CNIC ou se precisa aguardar algumas semanas para a próxima reunião acontecer. A Lei do Audiovisual, através da Ancine, tem realizado sua análise em 30 dias. As Leis Estaduais e Municipais variam de acordo com o prazo determinado no edital.

 

9. Quais são os documentos que preciso ter para inscrever um projeto?

A resposta a esta pergunta varia de acordo com a lei ou edital com o qual estamos trabalhando mas pra você ter uma ideia, os principais documentos solicitados são “Registro na Biblioteca Nacional” para longas inscritos na Lei do Audiovisual pela Ancine, “Roteiro” ou “Argumento” para curtas e médias-metragens que serão inscritos na Rouanet, “Proposta Museográfica” para projetos de exposição também na Rouanet, “Carta de Direito Autoral” para projetos que envolvem textos (curtas, médias, peças de teatro, livros) na Rouanet, “Cartas de Anuência” para alguns dos editais e Lei Estadual… e por aí vai.

 

10. Como tenho acesso a estes modelos de documentos?

Pra facilitar sua vida, criamos o produto KIT DO PRODUTOR com mais de 20 modelos de documentos editáveis, em word para que você tenha tudo o que precisa para realizar seus projetos.

11. Meu projeto foi aprovado em uma lei de incentivo. Qual o próximo passo?

Se seu projeto foi aprovado em uma lei de incentivo, você já pode começar a etapa de captação de recursos. Você, como proponente do projeto, pode ser o próprio captador de recursos, entrando em contato com empresas e apresentando seu projeto diretamente para possíveis patrocinadores ou você obter o auxílio de um captador de recursos profissional, que já conta com contatos em empresas que podem se interessar por seu projeto. Caso não tenha um captador, podemos indicar nossos melhores parceiros de captação.

 

12. Meu projeto foi aprovado em um edital. Qual o próximo passo?

Cada edital conta com regras próprias para a etapa de contratação. Normalmente você terá um prazo determinado para apresentar documentos da empresa e iniciar a elaboração do contrato para a liberação do valor acordado. Sugerimos sempre reler o regulamento do edital para não perder prazos e não correr riscos de perder o patrocínio por conta de regras pré-estabelecidas.

 

13. Não encontrei resposta para minha dúvida aqui. O que eu faço?

Basta acessar nosso grupo no facebook que teremos prazer em ajudá-lo.

 

14. Mas eu tenho muitas dúvidas… e ai, como faz?

Quando você tem muitas dúvidas ou suas dúvidas são muito relacionadas ao projeto que você deseja realizar, sugerimos marcar uma hora de consultoria e teremos prazer em responder a um batalhão de perguntas pra você tirar rapidinho seus projetos da gaveta!

 

Não encontrou as respostas às suas perguntas?

 

Então você precisa conhecer o livro “Eu tenho um projeto… Manual prático para tirar suas ideias da gaveta“.

 

Eu tenho um projeto

 

Que tal ter em mãos um manual pratico em PDF para o desenvolvimento de projetos culturais que irá acompanhar e guiar você ao longo de todo o processo de transformação de sua ideia, desde a página em branco, até o momento em que irá atingir o seu público.

 

Durante cada etapa do livro  você terá acesso a exercícios e exemplos práticos com um passo-a-passo para o desenvolvimento do seu projeto.

 

Na etapa de captação de recursos, você irá conhecer todas as ferramentas disponíveis no mercado – como leis, editais e muito mais – para efetivamente produzir.

 

Para concluir, faremos juntos a prestação de contas e você estará pronto para dar início a um novo projeto !

Pronto para tirar suas ideias da gaveta ? 

Temas abordados: 

 

1. A página em branco
2. Como utilizar este manual
3. Onde tudo isso começou
4. O primeiro passo
5. Material de trabalho
6. O sucesso
7. A resistência
8. A persistência
9. A ideia
10. O Projeto
10.1 O batizado de um projeto
10.2 Objetivo do projeto
10.3 A Justificativa do projeto
10.4 As particularidades de um projeto
10.5 O local
11. Direitos Autorais
12. O cronograma
13. A ficha técnica
14. O plano de divulgação
15. O plano de distribuição
16. O orçamento
16.1 Utensílios de trabalho
16.2 Ambiente propício
16.3 Profissionais adequados
16.4 Transformando recursos em orçamento
17. Como tirar seu projeto do papel
18. Contrapartidas ao patrocinador
19. A caixa de ferramentas
20. Leis de Incentivo
20.1 Lei Rouanet
20.2 Lei Estadual de Incentivo à Cultura
20.3 Lei Municipal de Incentivo à Cultura
20.4 Lei do Audiovisual
21. Captacão de recursos
22. Editais privados
23. Editais públicos
24. Auto-financiamento
25. Empréstimos
26. Patrocínio afetivo
27. Crowdfunding
28. Anjos e investidores
29. Desenvolvendo uma estratégia
30. Consegui captar! E agora?
31. Assessoria de Imprensa
32. Relação com patrocinadores
33. Gestão de equipe
34. O grande dia
35. Relacionamento com o publico
36. Prestação de contas e finalização
37. De volta ao começo

Como utilizar este manual? 

 

Há duas formas diferentes de utilizar este manual.

 

A primeira delas é seguir página por página à risca, lendo cada capítulo em ordem e colocando em prática o que ensino aqui, etapa por etapa.

 

Os capítulos têm sempre uma sessão « agora é sua vez » justamente para que você coloque em prática o assunto sobre o qual falamos e assim, pouco a pouco e junto comigo, construiremos o seu projeto.

>>> Eu quero meu exemplar

 

ENTREGA: Após a confirmação de pagamento, o livro em formato será enviado para seu email em até 48 horas.

 

Prefere comprar em eBook pela Amazon em ePUB? Clique aqui!

 

 

Calendário 2015 de abertura de editais e resultados

Confira aqui todas as notícias sobre cultura de 2015 que irão ajudar você a tirar seus projetos da gaveta e a realizar suas ideias desde a página em branco até o resultado final. Este calendário tem como objetivo facilitar a busca de informações, sempre com link para a fonte original da notícia, reduzindo, assim, seu tempo em busca do que está procurando. Para saber de que forma trabalhamos, é só clicar AQUI. Se você deseja contratar nossos serviços para ajudá-lo em suas inscrições, basta entrar em contato conosco (tireseuprojeto@dagaveta.com.br)

 

DEZEMBRO:

 

  • Rio Filme anuncia 3ª TEMPORADA ESCOLA DE SÉRIES
  • Lançados editais para propostas de desenvolvimento e projetos de linguagem inovadora do Programa Brasil de Todas as Telas Ano 2
  • Inscrições abertas para Prêmio Mercosul de Artes Visuais
  • Coelba abre programa de patrocínios
  • Curta! busca projetos sobre música, arte e cinema nas rodadas de negócio do RioContentMarket
  • Funarte susta pagamento de editais; artistas criticam
  • PlayTV procura projetos sobre mundo geek e tecnologia nas rodadas de negócio do RioContentMarket
  • Com dívida, presidente da Funarte suspende pagamento de editais
  • Oi Futuro abre edital para seleção de projetos e ocupação de espaços
  • Netflix busca coprodução de série brasileira de ficção
  • Sesi-SP abre edital para projetos de artes visuais
  • Hulu, serviço de streaming, busca conteúdo original em rodadas de negócios
  • Edição de 2016 do fiveFilms4freedom vai selecionar cinco curtas-metragens
  • Funarte lança Programa Cena Aberta 2016
  • Workshops de escrita para a TV (TV Writing Workshops) é oferecidos pelo Columbia Global Centers e SMC no Rio de Janeiro
  • Edital italiano seleciona projetos para coprodução em cinema
  • Discovery e Animal Planet buscam projetos sobre natureza, investigação e comportamento nas rodadas de negócios
  • Ministério da Cultura cria Comitê Executivo responsável por implementar projetos culturais nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016
  • Edital de Intercâmbio: conheça resultado preliminar
  • BNDES define os 17 projetos vencedores do Edital de Cinema 2015
  • Inscrições abertas para o Hot Docs – Festival Internacional de Documentários do Canadá
  • Prêmio Funarte de Internacionalização: confira resultado final
  • Comunicado aos proponentes: prorrogação de prazo de captação de projetos audiovisuais

 

NOVEMBRO:

 

  • Programa Brasil de Todas as Telas lança chamada pública de investimento em longas-metragens
  • Edital de Apoio à Tradução e à Publicação 2015-2017 (português e inglês)
  • Rodadas de Negócios da 6ª edição do RioContentMarket
  • MIS abre convocatória para artistas da dança
  • Programa Brasil de Todas as Telas lança chamada pública de investimento em longas-metragens
  • TV Globo abre edital Globo Lab com foco em webséries
  • Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro selecionará produtores para Laboratório do Festival Internacional de Cinema de Rotterdã
  • CHAMAMENTO DE GRUPOS E ARTISTAS APAA 2016 – São Paulo
  • MAI (Montréal, arts interculturels) abre edital para Artes Visuais e Teatro
  • Lei Rouanet entra em consulta pública
  • Comissão aprova divulgação de projetos beneficiados pela Lei Rouanet
  • Rio Web Fest – 1o Festival Internacional de Webséries  
  • Câmara aprova uso da Lei Rouanet no turismo cultural
  • MinC sem papel. Acesso a documentos pela internet

 

OUTUBRO:

 

  • SEC-RJ abre edital para o Carnaval 2016
  • BNDES abre edital de patrocínio
  • Aberto edital de seleção para o LAB Rio Criativo
  • SEC lança edital Fomento Olímpico
  • SEC e Cesgranrio lançam Edital ELIPSE-Programa Estadual de Fomento ao Curta Universitário
  • BANCO DO BRASIL PUBLICA EDITAL DE CESSÃO DE ESPAÇOS DOS CCBBs
  • BrazilFoundatin abre edital para educação e cultura
  • Novos investimentos do Brasil de Todas as Telas
  • Reabertas inscrições do Edital de Intercâmbio 2015
  • Secretaria Municipal de Cultura lança Programa Fomento Cidade Olímpica
  • Confira o calendário de Financiamento da ANCINE para os próximos meses
  • MinC divulga resultado preliminar do Longa BO
  • SMC divulga o resultado do Edital do Contribuinte Incentivador – Viva a Cidade!
  • Divulgado resultado preliminar do Longa DOC do Ministério da Cultura
  • Funarte divulga o resultado de quatro editais de artes visuais (link desabilitado pela Funarte)
  • Resultado final do Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2015 (link desabilitado pela Funarte)
  • Prêmio Funarte Carequinha de Estímulo ao Circo: resultado da etapa 2 (link desabilitado pela Funarte)
  • Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015: sai a lista de selecionados (link desabilitado pela Funarte)
  • Prêmio Funarte de Programação Continuada para a Música Popular 2015: divulgados os selecionados (link desabilitado pela Funarte)
  • Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2015: divulgado resultado de habilitação, após recursos (link desabilitado pela Funarte)
  • Programa de fomento Viva o Cinema! Divulga lista dos projetos selecionados
  • Dilma regulamenta lei que limita a 40 total de ingressos para meia entrada
  • Finanças aprova inclusão de artes e atividades circenses na Lei Rouanet
  • ANCINE coloca em consulta pública minutas de Instruções Normativas que alteram o acompanhamento e a prestação de contas dos projetos audiovisuais
  • Eleição para integrantes do Conselho Municipal de Cultura amplia participação democrática
  • Comunicado sobre o Prêmio Funarte de Programação Continuada para a Música Popular 2015

 

SETEMBRO:

 

  • MinC cria edital de apoio às traduções de espetáculos de teatro.
  • Rio Filme lança Programa de Investimento Automático Reembolsável – Viva o Cinema!
  • Ancine abre chamada pública para coprodução latino-americana
  • Lançado edital do Programa Música Minas 2015
  • Secult lança edital de longa-metragem em parceria com a Ancine
  • Divulgado o resultado preliminar da primeira fase de seleção da Chamada Pública PRODECINE 01/2014
  • Prêmio Funarte de Programação Continuada para a Música Popular: resultado da etapa 1
  • Divulgadas listas de habilitados e inabilitados de quatro editais de artes visuais
  • FBN divulga resultado da fase de habilitação do Prêmio Literário Biblioteca Nacional 2015
  • Projetos contemplados nas linhas de fluxo contínuo do Programa Brasil de Todas as Telas
  • Resultado dos projetos que irão para a fase de seleção – VIVA O CINEMA!
  • Comissão aprova lucro presumido para dedução por Lei Rouanet
  • CONVITE: Bate papo ao vivo, 14/09, sobre Vale Cultura
  • Esclarecimentos sobre MEI nos editais da Funarte
  • Mudanças na estrutura da Secretaria Municipal de Cultura

AGOSTO:

 

 

PS: quando os links são desativados pelos sites, retiramos o direcionamento da página para não manter um link quebrado. Entretanto, mantemos o registro como um histórico para pesquisa.

 newsletter